19 3846.1408

Aprenda 4 estratégias essenciais de análise da concorrência

"Se você se conhece, mas não conhece o inimigo, para cada vitória ganha, sofrerá também uma derrota". A frase vem do ancestral livro chinês "A arte da guerra" do autor Sun Tzu, mas é, até hoje, utilizada pra destacar a importância de entender e acompanhar as ações de competidores. O conceito encaixa-se perfeitamente no mundo do marketing digital.

Conhecer o inimigo — ou, no caso, o concorrente — é fundamental para colocar sua marca em posição de liderança. Ao dominar suas fraquezas, você passa a ter uma visão mais ampla do mercado e pode elaborar estratégias mais sólidas. Além disso, observar os pontos fortes da concorrência pode trazer insights valiosos para potencializar o desempenho de sua marca.

Neste artigo, elaboramos uma lista com 4 estratégias essenciais para realizar uma análise da concorrência eficiente. Continue lendo e confira!

1. Identifique seus verdadeiros concorrentes

Antes de elaborar qualquer forma de análise da concorrência, certifique-se de que você sabe exatamente quem deve analisar. É natural que aqui você já tenha alguns nomes em mente, mas esse processo pode ser um pouco mais complexo.

Por isso, utilize as redes sociais para saber com quem seu público está se engajando. Realize pesquisas dos termos mais relevantes para sua persona e observe quais marcas se destacam. É recomendado que sejam escolhidas, pelo menos, quatro, a fim de possibilitar material suficiente para uma examinação mais profunda.

Concorrentes diretos

São as marcas que atuam exatamente no mesmo ramo que você, trabalham com os mesmos produtos ou serviços que sua empresa e atuam na mesma região geográfica. Os concorrentes diretos atuam com tipos de negociação similares ao seu e atingem o mesmo nicho de mercado. Exemplos clássicos de competidores diretos são Apple e Samsung.

Concorrentes indiretos

São as marcas que oferecem produtos e serviços diferentes do seu, mas atingem o mesmo público-alvo. O que elas têm a oferecer pode substituir seu produto, de forma que acabam por influenciar na decisão de seu cliente.

Exemplos de competidores indiretos são o Starbucks e a Red Bull. As empresas têm formas de atuação completamente diferentes, mas, no fim das contas, ambas vendem bebidas energéticas à base de cafeína.

2. Faça uma análise das palavras-chave

As palavras-chave fazem jus ao nome. Funcionam como verdadeiras chaves na internet, que permitem que sua audiência acesse o conteúdo produzido por você. Por isso, antes de qualquer coisa, é importante conhecer quais palavras-chave são relevantes para o seu público-alvo.

As keywords são extremamente disputadas por profissionais de marketing, afinal, ajudam a determinar o posicionamento do site em buscadores online. Portanto, se você está produzindo um conteúdo de qualidade e, ainda assim, não está alcançando o engajamento desejado, é possível que seu concorrente esteja fazendo melhor uso dessa estratégia.

Analisar as palavras-chave que estão sendo utilizadas pelos competidores, além de quais estão trazendo maior resultado, traz ao gestor informações significantes. Ao saber quais termos estão levando mais usuários a outros domínios, é possível realizar ajustes para otimizar o seu próprio planejamento digital.

Existem muitas ferramentas que auxiliam nesse tipo de análise. O SEMrush, por exemplo, entrega mapeamentos completos sobre o tráfego de seus concorrentes e sobre quais palavras-chave eles ranqueiam. Com o SEMrush, é possível analisar dados, como duração média de visita, taxa de rejeição e páginas visitadas.

3. Acompanhe a estratégia de conteúdo de cada concorrente

As palavras-chave são apenas o começo. É preciso fazer um verdadeiro estudo sobre a estratégia de conteúdo de seus competidores, levando em conta determinados pontos, como:

- canais;

- quantidade de conteúdo;

- frequência de postagem;

- assuntos abordados.

Para facilitar seu trabalho, uma planilha simples pode ser criada para registrar e organizar todos os dados. Um a um, vamos explicar como cada aspecto deve ser analisado.

Canais

É preciso saber os canais que seu concorrente usa para publicar conteúdo. Descubra se ele conta com um ou mais blogs, se posta vídeos em um canal no YouTube e em quais redes sociais está mais ativo. Identifique também em qual canal seu concorrente se mostra mais ativo e tente imaginar o motivo.

A ferramenta SimilarWeb pode ser muito útil nesse processo. Com ela, é possível mapear qualquer domínio e descobrir as principais fontes de tráfego que levam usuários até lá.

Quantidade e frequência de postagens

Registre quantos conteúdos seu concorrente disponibiliza em cada canal e note com que frequência ele costuma publicar novidades. Aqui, vale seguir suas redes sociais e até assinar a newsletter para conhecer mais a fundo sua estratégia.

Além de trazer insights sobre como o concorrente está abordando a relação com o público-alvo, essa prática detalhará de que forma seus competidores estão direcionando seus investimentos mensais.

Assuntos abordados

Identifique quais são os assuntos mais abordados na produção de conteúdo da concorrência. Mais importante ainda, perceba quais desses assuntos geram maior engajamento no público que vocês compartilham.

A análise de palavras-chave, já citada no texto, é uma das formas de realizar esse estudo. Porém, uma rápida olhada na página de uma empresa já permite que se tenha uma ideia dos assuntos que agradam o público e daqueles que não despertam nenhum tipo de interesse.

4. Analise a qualidade do conteúdo

Após estabelecer uma rede de acompanhamento do conteúdo de seus competidores, é hora de um processo mais analítico. Você deve elaborar uma escala de qualidade e avaliar o material mapeado. Para isso, é preciso entender o que pode ser considerado conteúdo de qualidade.

Naturalmente, não existe uma fórmula única, mas, de modo geral, nos referimos a um material que trabalhe bem os aspectos de SEO para ranqueamento, utilize o marketing de conteúdo de forma estratégica e apresente uma produção visual e escrita bem organizada e adequada à persona.

Um conteúdo é qualificado quando atende bem a todos esses requisitos. Mais uma vez, a ferramenta SEMrush pode auxiliá-lo nesse processo, afinal, indica exatamente se o conteúdo é considerado qualificado pelo Google.

Outra forma simples de analisar a qualidade do material competidor é observando o engajamento nas redes sociais e o feedback deixado por usuários, que são os melhores juízes nesse assunto.

A análise da concorrência é um elemento fundamental na elaboração de qualquer estratégia de marketing. A partir dela, é possível extrair informações que podem servir de pilares para ajustes na operação de sua própria marca.

Se você utilizou as dicas listadas neste texto, já tem dados suficientes para analisar e qualificar as ações da concorrência. A partir daí, basta entender como você pode otimizar o seu planejamento a fim de explorar os espaços deixados pelos pontos fracos dos competidores e o que pode alterar para fazer frente aos seus pontos fortes.

E aí, acha que essas estratégias de análise da concorrência podem ser úteis para o seu negócio? Que tal continuar seu aprendizado e entender a relação entre Search Engine Marketing e as práticas de SEO? Vamos lá!

Gostou desse texto?
Compartilhe na rede
Gostou do que viu?
Fale conosco
Redes
Sociais
dê uma espiada!