19 3846.1408

Mídias tradicionais x Google e Facebook − Entenda por que a publicidade digital pode ser mais efetiva

23/06/2017

Há um tempo atrás, o rádio, a TV e as mídias impressas eram os principais veículos de publicidade que tinhamos conhecimento. Hoje, no entanto, os gestores e empreendedores têm ao seu dispor uma série de plataformas digitais, que além de possibilitarem a divulgação de produtos ou serviços, oferecem ferramentas de mensuração e otimização dos resultados em cada campanha.

Entre as plataformas digitais mais utilizadas para marketing e publicidade estão o Google e Facebook, ambas consideradas bastante efetivas para aumentar o tráfego de sites, anunciar promoções, captar leads e, claro, aumentar as vendas.

Se você é um gestor, empreendedor ou profissional de marketing e só anuncia em mídias mais “tradicionais” é bom ficar ligado em outras opções de mídia, principalmente em mídias digitais, onde o custo quase sempre é menor quando comparado a outros tipos de mídias. E para lhe ajudar na decisão de qual caminho escolher trouxemos alguns tópicos comparativos.

 

O marketing de interrupção nos panfletos, jornais e TV

Para compreender por que as mídias tradicionais nem sempre trazem bons resultados, é necessário entender o “mecanismo” pelo qual elas atuam junto ao público: a interrupção. Tomemos como exemplo uma campanha de panfletos no trânsito: a cada carro que para no semáforo, seu entregador aborda o motorista e “empurra” a publicidade, interrompendo seus pensamentos particulares e atrasando o seu trajeto.

Algo similar acontece nos jornais, quando o leitor está completamente imerso em uma notícia e se depara com um anúncio “gritante” que atrapalha sua concentração. Já para quem está à frente da TV, a invasão publicitária ocorre em intervalos que duram mais de cinco minutos e pausam várias vezes sua novela ou programação favorita.

Além desse caráter “invasivo”, as mídias tradicionais apresentam uma segunda desvantagem: a dificuldade em atingir o público com maior potencial de compra. Seja com panfletos, jornais ou TV, é impossível selecionar os consumidores que receberão o seu anúncio, o que implica em uma distribuição “cega” e pouco assertiva.

 

O marketing de atração do Google e Facebook

Enquanto as mídias tradicionais agem por meio da interrupção, as plataformas de publicidade online como o Google e Facebook são focadas em atrair a atenção dos consumidores. Isso significa fazê-los interagir espontaneamente com a sua empresa através de anúncios em vídeos, textos ou imagens interessantes que ofereçam uma solução para seus problemas de consumo.

Além de ser uma publicidade “não invasiva”, em que o consumidor escolhe entre interagir ou não com a empresa, as campanhas no Google e Facebook permitem segmentar o público que receberá seus anúncios de acordo com a sua localização, faixa etária, interesses e estilo de vida.

O Google reserva ainda um segundo diferencial: a exibição dos anúncios é feita somente para os consumidores que estão procurando ativamente pelo o que você tem a oferecer. Por exemplo, se sua empresa trabalha com aquecedores solares, o seu anúncio só será exibido quando alguém digita “aquecimento solar” ou termos similares que estejam relacionados ao seu produto.

Essa segmentação estratégica das campanhas digitais pode ser decisiva para a geração de vendas, uma vez que o anúncio será entregue para a pessoa certa no momento certo.

Para começar agora mesmo suas ações de marketing no Google e Facebook, entre em contato com a Labraro!

Gostou desse texto?
Compartilhe na rede
Gostou do que viu?
Fale conosco
Redes
Sociais
dê uma espiada!