19 3846.1408

Dicas de web design baseadas no comportamento do cérebro

05/02/2014

Hoje em dia, a atenção dos internautas é um dos elementos mais disputados pelos desenvolvedores de sites pois ao navegar na Internet, estamos geralmente focados em mais de uma tarefa ao mesmo tempo. Mas uma tendência observada atualmente é utilizar técnicas de web design baseadas no comportamento do cérebro humano. Esta medida pode tornar seu site mais eficaz e chamar a atenção dos internautas para o conteúdo apresentado. Por isso, preparamos 5 dicas de web design baseadas no comportamento do cérebro que você confere logo abaixo.
1. Memória de curta-duração
Planeje especificamente os elementos de design de seu site. Para isso, é importante conhecer um pouco sobre o funcionamento do cérebro humano. O lobo frontal é um dos cinco lobos de nosso cérebro. Localizado na parte da frente da cabeça, ele é responsável pela parte lógica e motivacional de nossa mente e também está associado com a memória de curto-prazo. Na hora de organizar seu site, coloque os itens mais importantes de uma lista sempre no começo ou no final. Isso porque, ao ler textos em formatos de listas, nossa memória de curto prazo memoriza os primeiros ou os últimos itens. Os do meio tendem a ficar esquecidos.
2. Poucos elementos na capa
Ainda em função do lobo frontal, é preciso deixar o site apenas com os itens estritamente necessários, sejam eles dados do menu, informações em listas ou em tabelas. Nesse sentido, menos é mais. Nossa memória de curto prazo é mais eficiente em memorizar poucos elementos. Muita informação ao mesmo tempo é sinônimo de confusão.
3. Marketing
Pensando sobre o marketing do site, é preciso levar em conta a característica de nossa mente em supervalorizar os custos e subvalorizar os ganhos. Na prática, isso quer dizer que nossa primeira impressão ao ver custos é geralmente negativa. Por isso, utilize a seguinte estratégia na hora de tratar dos custos de um produto: explique os custos e as perdas que os clientes terão ao não utilizar seu produto ou serviço. Valorize o que eles perderão. Em contrapartida, enfatize os ganhos que o usuário terá ao adquirir seu produto, especialmente os ganhos imediatos. Nossa mente reage quando há sentido de urgência. Assim, crie ofertas com tempo determinado, sobretudo com produtos limitados.
4. Linguagem
O lobo temporal é a área do cérebro relacionada à compreensão linguística. Para utilizá-la a favor do web design, é preciso utilizar palavras de conhecimento geral junto a frases curtas e objetivas. Isso vale para todos os itens do site, dos posts de blogs até informações no menu principal. Nosso cérebro processa as palavras conhecidas de forma mais rápida. Isso vai deixar o conteúdo de seu site muito mais acessível.
5. Cores ativas
O lobo occipital é a parte do cérebro relacionada a todo tipo de percepção visual. Por isso, é importante ter certo cuidado na hora de escolher as cores que serão utilizadas no site. Assim, cada cor representa uma ação compreendida pelo cérebro. O vermelho, por exemplo, cria a sensação de urgência. O azul oferece confiança. O laranja, por sua vez, está ligado ao engajamento, enquanto o amarelo é utilizado para chamar a atenção, especialmente em abas complementares e anúncios. De modo geral, as cores mais ativas são o vermelho, o laranja, o amarelo e o verde. Na linguagem da internet, itens com estas cores são um clique quase garantido.
Todas essas informações de web design utilizando o comportamento do cérebro humano são resultados de estudos na área. No entanto, algumas delas podem variar dependendo do tipo de site e de público. Mas e você?

Tem outras dicas de web design que facilitam a compreenção de sites pelo cérebro? Compartilhe-as com a gente nos comentários abaixo!

Gostou desse texto?
Compartilhe na rede
Gostou do que viu?
Fale conosco
Redes
Sociais
dê uma espiada!